Cavalo Crioulo define os campeões do ano na Marcha de Resistência

Odilo Destapada - Crédito Maurício Vinhas Divulgação (Médio)

A 22ª edição da Marcha Anual de Resistência, prova que testa a resistência, adaptabilidade e poder de recuperação do Cavalo Crioulo, escreveu mais um capítulo da sua história. Realizada no município de Santa Vitória do Palmar, no extremo sul do Rio Grande do Sul, este ano a prova levou o nome do médico veterinário Antônio Fernando Hecker Zambrano. No último sábado, 29 de junho, foram conhecidos os campeões da competição em uma verdadeira festa de celebração da amizade em torno do cavalo.

Durante as últimas semanas, o Parque do Sindicato Rural de Santa Vitória do Palmar se transformou em um palco de celebração da amizade em torno do cavalo crioulo. Participantes de longa data e novos entusiastas encontraram um ambiente acolhedor e familiar durante os 15 dias de prova. Matheus Teixeira, presidente do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Pedro Arício Souza, expressou satisfação com a realização do evento. “Nesses dias, sentimos o espírito que move os homens do cavalo. Foi uma honra sediar uma prova tão importante para a raça como a Marcha de Resistência. O Núcleo de Santa Vitória está de portas abertas para receber novamente o DNA marcheiro”, afirmou.

A Marcha Anual de Resistência é um dos pilares de seleção do cavalo crioulo, juntamente com a Morfologia e o Freio de Ouro. A prova consiste em percorrer distâncias diárias até completar um percurso de 750 quilômetros, dividido em etapas semirreguladas e livres. Trinta dias antes da largada, ocorrida no dia 15 de junho, os animais ficaram concentrados na estância Tamanca, também em Santa Vitória do Palmar. Soltos à campo, os animais que participaram da Marcha permanecem sob as mesmas condições nutricionais e estruturais.

Odilo Destapada - Crédito Maurício Vinhas Divulgação (Médio)
Odilo Destapada – Crédito Maurício Vinhas Divulgação (Médio)

Luiz Mário Queirolo Diaz, coordenador da Subcomissão de Marcha, também demonstrou satisfação com a conclusão de mais um ciclo. “É uma satisfação encerrar mais este ciclo rodeado de pessoas que são apaixonadas pela resistência, e o melhor ainda é saber que todos os cavalos que por aqui estiveram estão bem.

Às 07h, a largada foi dada, e quase duas horas depois, o conjunto do box 15, Odilo Destapada e Rodrigo Marques Ignácio Gonçalves, cruzou a linha de chegada. Com um tempo total de 66h37m35s, alcançaram o primeiro lugar na classificação geral. Criado por Gilberto Gonçalves, Odilo Destapada estreou na modalidade em Jaguarão, em 2023, ficando em segundo lugar na ocasião. Ponteira na classificação geral e também na categoria Éguas maiores de sete anos, a fêmea de pelagem Moura tem no seu DNA a resistência, é filha de Tornado Caraguata (pai) e mãe em Pepita de Santa Elizabeth, campeã da Marcha de Resistência de 2011.

Nesta edição além dos campeões gerais foram conhecidos os campeões das categorias Éguas menores de sete anos, Éguas maiores de sete anos, Cavalos Castrados e Reprodutores. Confira os resultados completos no site da ABCCC em www.abccc.com.br.

 

Foto: Maurício Vinhas/Divulgação

Texto: Redação ABCCC

Please follow and like us:
Pin Share

Views: 68