Classificatória na Argentina apresenta primeiros selecionados para a final do Freio de Ouro

Freio de Ouro Argentina - Crédito Divulgação (Médio)

Dando o pontapé inicial para conhecer os finalistas da maior prova de seleção da raça crioula, entre os dias 28 de fevereiro e 02 de março, as pistas da Sociedad Rural de Palermo, em Buenos Aires, Argentina durante a Exposição Nuestros Caballos, foi palco da primeira Classificatória ao Freio de Ouro 2024.

Em terras argentinas, a disputa trouxe 48 fêmeas e 42 machos que definiram oito exemplares, quatro fêmeas e quatro machos, para a final que acontece durante a Expointer, no Parque de Exposições Assis Brasil, na Arena do Cavalo Crioulo, em Esteio (RS), promovida pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).

O fechamento do último dia de disputas da Classificatória Argentina foi um verdadeiro espetáculo. Com notas finais que perpassam os 20 pontos, os hermanos se reuniram em uma verdadeira festa, comemorando a conclusão do Freno de Oro argentino e classificando os exemplares para a final brasileira que acontece entre os dias 26 e 31 de agosto, na Expointer 2024. Na categoria fêmeas, a primeira classificada se manteve entre as quatro líderes desde a etapa de Andaduras e, a partir daí, continuou escalando posições até finalizar o dia no topo do ranking. Com isso, Picara Incaica, criada por Enrique Francisco Morea, Exposta por Compañia Consignata Paz Hnos S.R.L, da cabanha San Basílio, com o ginete Horácio Daniel Casin, alcançou a média final de 19,646 pontos.

Entre os quatro classificados na categoria machos, mais novidades podem ser encontradas no topo da tabela. Com o ouro argentino, Cara Cara Aña Chera’a, criado e exposto por Nestor Oscar Sieber, cabanha Cara-Cara-Aña, com o ginete Luís Alberto Dure, também demonstrou toda sua desenvoltura nas provas com o gado e, com média final de 21,079, finalizou o dia com a primeira vaga para a final do Freio de Ouro.

Indicados através do acordo entre as Associações nas Classificatórias internacionais, as duplas brasileiras escolhidas foram formadas por Alexandre Pons Suñe, Luiz Alberto Martins Bastos e o jurado argentino, Santos Miguens, na categoria fêmeas. Já na categoria machos, os responsáveis pelo julgamento foram Carlos Loureiro de Souza, Ciro Manoel de Canto Freitas e o argentino, Carlos Cattani.

Freio de Ouro Argentina - Crédito Divulgação (Médio)
Freio de Ouro Argentina – Crédito Divulgação (Médio)

Confira o resultado

FÊMEAS

1ª Colocada
Picara Incaica, criada por Enrique Francisco Morea, Exposta por Compañia Consignata Paz Hnos S.R.L, cabanha San Basílio, com o ginete Horácio Daniel Casin
Média final: 19,646

2ª Colocada
Charque Chancleta, criada e exposta por Júlio Alberto Ballester Suc, cabanha San Arseno, com o ginete German Barale.
Média final: 19,541

3ª Colocada
Deguati Almendra, criada e exposta por Juan José Barreneche, cabanha Los Vascos, com o ginete Lucas Lopes de Freitas.
Média final: 19,181

4ª Colocada
Mentada Zamarramala, criada e exposta por Leandro Antonio Lopez, cabanha El Caraí, com o ginete Mauricio Nicolas Paz.
Média final: 18,828

MACHOS

1º Colocado
Cara Cara Aña Chera’a, criado e exposto por Nestor Oscar Sieber, cabanha Cara-Cara-Aña, com o ginete Luís Alberto Dure.
Média Final: 21,079

2º Colocado
Tropezon Falucho, criado e exposto por Pablo Emílio Tronconi, cabanha Santa Bárbara, com o ginete Maurício Nicolas Paz.
Média Final: 20,194

3º Colocado
Tropezon Roña, criado e exposto por Pablo Emílio Tronconi, cabanha Santa Bárbara, com o ginete Maurício Nicolas Paz.
Média final: 19,944

4º Colocado
Tañido Tronador, criado e conduzido por Luis Alberto Dure, exposto por Felipe Juan Ballester, cabanha La Esperanza.
Média Final: 19,543

 

Foto: Divulgação

Texto: Redação ABCCC

Visits: 45