Mancha Crioula já tem jurado definido para a tradicional exposição de pelagens manchadas

Felipe Maciel - Crédito Felipe Ulbrich Divulgação

A tradicional Exposição Mancha Crioula, organizada pela Trajano Silva Remates, terá o jovem Felipe Maciel como jurado técnico, nesta edição de 2024. O evento, que acontece entre os dias 1º e 3 de março, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, é composto, além da avaliação morfológica, por concentração de machos, remate e, nesta edição, pela novidade: um redomão.

Felipe Maciel, de 39 anos, é casado com a médica veterinária Giovana e aguarda a chegada de seu primeiro filho. Há 13 anos, participou de uma seleção para técnico, incentivado pelo pai, de quem ganhou a primeira égua crioula aos 14 anos de idade. Ele conta que foi este presente que deu o pontapé inicial na sua trajetória junto ao cavalo e também o levou a cursar medicina veterinária. “Acho que, por nossa família não ser do campo, vivi na pele o que a maioria dos criadores iniciantes vivem, o que ajuda um pouco no meu trabalho como técnico”, conta o jurado. Na bagagem, ele carrega a experiência de ter julgado a categoria Machos da  Final de Freio de Ouro de 2018 e a categoria Fêmeas da Morfologia Expointer de 2020.  

Felipe Maciel - Crédito Felipe Ulbrich Divulgação
Felipe Maciel – Crédito Felipe Ulbrich Divulgação

Maciel diz que tem acompanhado muito o crescimento dos animais manchados. Disse que por muito tempo viu criadores realizando cruzamentos e se dedicando a eles apenas por serem manchados. “Hoje eu já vejo não só a pelagem, mas o crescimento não só em quantidades, mas principalmente a qualidade dos animais manchados. Hoje o criador não busca só o animal tobiano, mas um tobiano de genética boa, de qualidade morfológica e funcional”, afirma. Ele explica que usou o exemplo de tobianos e oveiros também, pois é normal, pela quantidade maior encontrada, que sejam vistos mais animais bragados, de qualidade nas exposições.

 

Foto: Felipe Ulbrich/Divulgação
Texto: Ieda Risco/AgroEffective

Visits: 36