Clube do Hipismo
criado em 3/3/2007
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner


Contato





2400604
Today1880
Yesterday2113
This week5991
This month24508

Gerais
Cavalo-atleta é destaque na Caballiana Fair 2010
Gerais

Cavalo-atleta é destaque na Caballiana Fair 2010

Colaboração Rute Araujo

Com crescimento nos números de animais de competição, eventos e praticantes dos esportes equestres no Brasil, o cavalo-atleta vem sendo merecedor de estudos, pesquisas e debates. E é com este objetivo que três eventos se realizam conjuntamente nos dias 14 e 15 de agosto no Sheraton São Paulo WTC Hotel, na Capital paulista: a inédita Caballiana Fair que comporta o I Seminário Internacional Caballiana e o já consagrado Congresso de Medicina Veterinária FEI/CBH, este ano em 6ª edição.

Com desafios internacionais cada vez mais exigentes, como Jogos Equestres Mundiais, Panamericanos, Sul-americanos e Olimpíadas, o desenvolvimento do cavalo-atleta se tornou pauta obrigatória desde o haras. Afinal, para se obter um craque nas pistas o trabalho começa na seleção genética e se completa com manejo, alimentação, treinamento planejado e participação em competições, sempre observando a evolução natural do animal.

Nas palestras do Seminário Internacional Caballiana estas etapas serão tratadas em palestras e mesas redondas com renomados profissionais. Entre os temas estão: Alongamento e Aquecimento: ferramentas para melhorar o desempenho; A influência da sela e da embocadura no sucesso esportivo e bem-estar animal; Ferraduras: modelos x performance e Nutrição, entre outras.

Apesar da ênfase nesta primeira edição do Seminário Internacional Caballiana estar centrada no cavalo-atleta, várias palestras também vão debater a realidade e futuro do setor. Na pauta estão temas que agregam valores à criação de cavalos de maneira geral como transporte, exportação, seguros, a importância do exame de compra, horsemanship, economia e funcionalidade no planejamento de um centro hípico, turismo equestre, marketing e cavalo: hobby ou negócio?.

Faz parte, ainda, da programação, uma mesa redonda com representantes de várias raças que objetiva discutir temas em comum e propor união do setor de maneira que o torne representativo, inclusive frente a reivindicações governamentais.

No Congresso de Veterinária, que acontece paralelamente a Caballiana Fair, três palestrantes internacionais retornam ao País e são esperados com expectativa: David Evans, da Austrália, um dos maiores especialistas do mundo no desenvolvimento dos estudos de fisiologia do exercício e treinamento em cavalos; Alberto Lineiro, da Argentina, referência na América do Sul quando o assunto é fisioterapia e reabilitação de cavalos atletas, e o norte-americano Jack Snyder, chefe da equipe do Hospital Olímpico desde 1988 e Delegado Veterinário no Pan do Rio 2007.

Os três eventos são realizações da Wolff Sports & Marketing e o VI Congresso de Medicina Veterinária FEI/CBH conta com organização conjunta da Federação Equestre Internacional (FEI), Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) e Sociedade Paulista de Medicina Veterinária com apoio do Jockey Club de São Paulo e Canal Rural.
 

 
Cavalos Novos de Salto: a busca pela liderança rumo ao Mundial da Bélgica
Gerais

Cavalos Novos de Salto: a busca pela liderança rumo ao Mundial da Bélgica

Colaboração Rute Araujo e Carola May


Cerca de 130 conjuntos participam do Circuito Nacional de Cavalos Novos de Salto nas séries 5, 6 e 7 anos em busca de vaga no seleto time que representará o Brasil no Campeonato Mundial da categoria que acontece entre 23 e 29 de setembro em Lanaken, Bélgica.

Com duas provas por etapa e dificuldades progressivas, as disputas pela liderança vêm ficando cada vez mais acirradas. Afinal, apenas os 20 primeiros colocados de cada série se habilitam a grande Final entre os dias 5 e 8 de agosto no CSN Helvetia Riding Center, em Indaiatuba (SP), durante o Campeonato Paulista Sênior Top.

Nas três de seis etapas realizadas desde abril – Ribeirão Preto (SP), Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS) – os atletas representantes da Federação Paulista de Hipismo (FPH) lideram nas três séries.

Cavalos Novos 5 Anos

Na mais concorrida das séries estão inscritos 67 conjuntos dos Estados de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. Lidera com 132,00 pontos a amazona Thais de Souza Arruda montando Srta. Acorela Joter. Acumulando a 2ª e 3ª colocações outro representante da FPH, Leandro Serrano Giunchetti montando, respectivamente, Apolo Carena (127,00) e Srta. Calanda Joter (105,00).

Cavalos Novos 6 Anos

A série conta com 37 conjuntos inscritos entre representantes de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

Montando Navarro Campeche, Leandro Serrano Giunchetti é o líder com 76,00 pontos. José Roberto Reynoso Fernandes Filho com Cordobes Jmen (60,00) é o vice-líder e em 3º lugar se posiciona Felipe Juarez de Lima montando Raissa Jmen (53,00). Ambos representam a FPH.

Cavalos Novos 7 Anos

A série conta com 25 conjuntos representantes de seis Estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

A liderança está dividida por dois conjuntos paulistas que somam 59,00 pontos: Gabriela Placco Dal´Ava montando Princess-Emily do BF e Felipe Juarez de Lima com Zuleika Método. Em 3º lugar se posiciona o cavaleiro paranaense José Paulo da Silveira Estrella montando Bonfire da Mata com 48,00 pontos.

Organizada conjuntamente pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) e Associação Brasileira de Criadores do Cavalo de Hipismo (ABCCH), o Circuito prossegue no próximo final de semana, de 14 a 16 de maio, quando a 4ª etapa se realiza durante o CSN Derby do Clube Hípico de Santo Amaro, em São Paulo (SP).

“O competidor poderá descartar três etapas das seis existentes; em caso de cancelamento de alguma etapa, o descarte cairá para dois”, avisa Antonio Celso Fortino, presidente da ABCCH.

 
Rédeas define equipe para o Mundial
Gerais

Rédeas define equipe para o Mundial

Colaboração Rute Araujo e Carola May

Com cavalos das raças Crioulo e Quarto de Milha, Rédeas - modalidade do Hipismo - define time que representará o Brasil nos Jogos Equestres Mundiais de Kentucky, Estados Unidos.

Realizada no sábado, 27 de março, no Barrinha Eventos, em Espírito Santo do Pinhal (SP), a segunda e última seletiva de Rédeas para a formação da equipe brasileira confirmou as expectativas e o cavalo Crioulo, o “pingo” dos pampas, integrará pela primeira vez o time verde-amarelo. O Brasil será o único País com time formado por animais de duas raças: Quarto de Milha – que predomina equipes dos outros países – e o Crioulo, raça típica da América do Sul, estreante na competição.

A primeira vaga do time foi conquistada por Wellington Teixeira que montando o Crioulo SJ Rodopio somou 440,50 pontos; empatados em segundo lugar com 440,00 pontos ficaram João Antonio Salgado Filho, o Jango, montando o também Crioulo Nipas do Infinito e Paulo Koury Neto com o Quarto de Milha Baikal Pep. A quarta vaga, até o momento, pertence a João Felipe Lacerda com o QM Sandy DunÍt Dar que somou 437,00 pontos.

Lacerda só perde a quarta vaga se os competidores que estão fora do Brasil e são candidatos a vaga na equipe obtiverem em duas competições de nível internacional (CRI) nota que seja maior ou igual a média das notas dos três primeiros colocados no Brasil. “Eles têm até final de maio para trazer estes resultados”, observa Peter Christians, diretor de Rédeas da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) e presidente da ANCR – Associação Nacional de Cavalos de Rédeas, entidades promotoras das seletivas.

Trajetória

Foi bastante acirrada a disputa entre os candidatos à vaga na equipe brasileira de Rédeas, e a pontuação apertada entre os seis candidatos.

Levou a melhor com 440,50 pontos Wellington Teixeira montando o Crioulo SJ Rodopio. Representando Ribeirão Preto (SP), o cavaleiro goiano venceu a 1ª seletiva e ficou em 3º na segunda.

Empatados com 440,00 pontos ficaram Paulo Koury Neto montando o Quarto de Milha Baikal Pep, representando Belo Horizonte (MG) e vice-campeão nas duas seletivas, e Jango Salgado com o Crioulo Nipas do Infinito, de Lupércio (SP), conjunto vencedor da 2ª seletiva e 3º colocado na primeira.

Com a quarta vaga ficou João Felipe Lacerda montando Sandy Dun´Ít Dar (QM), de Belo Horizonte (MG), quarto colocado nas duas seletivas.

Crioulo comemora a conquista inédita

O presidente da Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Crioulo (ABCCC) Roberto Davis, comemorou a conquista das duas vagas para a raça: “A partir deste fato está consolidada a competência da raça Crioula no circuito Rédeas. Não deixamos mais dúvidas, pois, definitivamente a raça estará inserida no contexto mundial de Rédeas”, comentou em entrevista a assessoria da ABCCC e concluiu: “ a ABCCC acompanhará e dará todo o apoio aos seus representantes nas provas em solo americano”.
 

 
Cavalos Novos de Salto de olho no Mundial da categoria
Gerais

Cavalos Novos de Salto de olho no Mundial da categoria

Colaboração Rute Araujo e Carola May

Um Circuito de seis etapas, além de uma Final, reúne Cavalos Novos de Salto das categorias 5, 6 e 7 anos entre abril e agosto quando serão selecionados os representantes brasileiros no Campeonato Mundial da categoria que acontece entre 23 e 29 de setembro em Lanaken, Bélgica.

Instituído pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) e Associação Brasileira de Criadores do Cavalo de Hipismo (ABCCH), o Circuito será realizado durante Concursos Nacionais de Salto (CSN) em quatro diferentes Estados.

As etapas

A abertura do Circuito acontece no CSN Ribeirão Preto (SP) entre 16 e 18/04, a 2ª etapa no CSN Curitiba (PR) entre 23 e 24/04, a 3ª etapa no CSN The Best Jump, em Porto Alegre (RS) entre 30/04 e 02/05, a 4ª etapa no CSN Derby do Clube Hípico de Santo Amaro (SP) entre 14 e 16/05, a 5ª etapa no CSN Copa São Paulo (SP) entre 17 e 20/06 e a 6ª etapa no CSN Herdade de Palma (RJ), entre 31/07 e 01/08.

Cada etapa haverá duas provas por categoria. O competidor poderá descartar três etapas das seis existentes; em caso de cancelamento de alguma etapa, o descarte cairá para dois.

“O Circuito é uma forma de avaliar melhor e realmente selecionar os melhores cavalos novos para o Mundial. Outro ponto importante é que as dificuldades serão progressivas, sendo que as primeiras etapas apresentarão nível de dificuldade médio”, observa Antonio Celso Fortino, presidente da ABCCH.

A etapa Final será entre 5 e 8 de agosto no CSN Helvetia Riding Center, em Indaiatuba (SP), durante o Campeonato Paulista Sênior Top. “Participam da Final os 20 melhores resultados por categoria após a realização das seis etapas. Todos os competidores entram em pista em igualdade de condição”, avisa Fortino.

Em cada uma das etapas a ABCCH distribuirá uma premiação especial, e na Final, em parceria com a CBH, o primeiro colocado de cada categoria (5, 6 e 7 anos) será premiado com passagem aérea, além de frete aéreo do animal para o FEI World Breeding Championship for Young Horses, promovido anualmente pelo Stud Zangersheid, o famoso Stud Z, propriedade de Leon Melchior, em Lanaken, Bélgica.
 

 
Equitação une gerações proporcionando benefícios
Gerais

Equitação une gerações proporcionando benefícios

Colaboração ANA PAULA POPOLIN

Para muitas pessoas, momentos de felicidade são aqueles ao lado dos filhos, netos, amigos e todos que amamos, para uma conversa informal e boas risadas. Por isso, procurar atividades que agreguem esses valores é essencial nos dias de hoje, quando o tempo parece voar. Nesse sentido, uma prática que vem ganhando adeptos e promove essa interação é a equitação.

Um exemplo é a história de Sônia Vera Lucca Dantas, de 63 anos, que cavalga com a neta Letícia Dantas Voi, 12, no Centro Hípico Guega, em Ribeirão Preto (SP). Tudo começou quando Letícia foi inscrita no “Curso de Férias a Cavalo” do Centro Hípico, que recebe nos meses de janeiro e julho crianças a partir dos dois anos de idade e, por meio da equitação, contribui no desenvolvimento das competências e habilidades que estão na base da aprendizagem, de uma forma lúdica e prazerosa, melhorando o desempenho na suas atividades diárias, sempre com a supervisão de profissionais especializados.

Após o curso, Letícia passou a frequentar as aulas e, para incentivar a neta, Sônia também começou a praticar. “O que no começo foi um incentivo, tornou-se uma terapia para nós duas. São momentos de prazer que passo ao lado de minha neta”, diz ela, ressaltando “que já se passam três anos” dessa alegre parceria.
Sônia explica que Letícia possui apenas 5% da visão e a equitação auxiliou e trouxe muitos benefícios à garota. “Notamos sua maior independência e autonomia. Ela participa de todas as competições realizadas no Centro Hípico”. Letícia pratica o esporte uma vez por semana.
 
A equitação é o único esporte no qual o praticante é dependente de outro ser vivo, o que faz com que as crianças, desde cedo, aprendam o sentido de companheirismo, trabalho em equipe, amor e respeito para com o seu parceiro, além de facilitar o aprendizado e melhorar a coordenação motora.

Para Maura Lucia Martins Vitorello, 51 anos, que juntamente com a neta Letícia Vitorello de Rezende, 11, pratica equitação há quatro anos, o esporte estreitou ainda mais o relacionamento entre avó e neta.
 
Maura morou nas proximidades do Centro Hípico Guega e sempre notava a movimentação de praticantes, o que a motivou a procurar a Escola de Equitação. Letícia, que a princípio tinha medo dos animais, começou praticando Garupinha (modalidade que a criança é acompanhada pelo professor) e a avó, para entusiasmá-la, também se matriculou.

“Hoje eu e minha neta participamos das competições internas do Centro Hípico Guega. Ela salta 0,80 cm e eu 0,60 cm. Adoramos fazer isso juntas, gosto de mostrar para ela que gerações diferentes podem se entender muito bem. Hoje é ela quem me incentiva e torce por mim nas provas”, explica Maura, que ao lado da neta já foi convidada para participar de competições fora de Ribeirão Preto.

Ela ressalta que a prática do esporte é um momento de grande prazer e integração. “É um tempinho durante a semana em que nos esquecemos do mundo lá fora, nos integramos, amamos os animais, brincamos com ele, sentimos a natureza e respeitamos tudo isso. Enfim, uma ótima terapia para ambas”.

Seja numa cavalgada, passeio em uma trilha ou praticando Hipismo como esporte, é possível também perceber melhora considerável no desempenho físico. Como o caso de Luciana Esteves, mãe do Leonardo, 10 anos, e Guilherme, 5.  A família pratica há quatro anos, quando a mãe procurou o Centro Hípico Guega para inscrever os filhos no “Curso de Férias a Cavalo”. A partir daquele momento, todos descobriram sua verdadeira paixão e passaram a praticar o esporte toda semana.

“Meus filhos estão mais concentrados, houve uma melhora nos reflexos e na postura, na interação com novos amigos, responsabilidade com horários e, principalmente, com o bem estar do cavalo”, explica.

Cada um procura na prática equestre resultados diferentes. Há aqueles que buscam se aprimorar no esporte, enquanto outros apenas praticam para combater o estresse de quem vive em um mundo tão competitivo como o atual.  O importante é apresentar alternativas que aliem diversão e bem estar para toda a família.

 
Luiza Almeida é Brasil na Final da Copa do Mundo do Adestramento
Gerais

Luiza Almeida é Brasil na Final da Copa do Mundo do Adestramento

 Colaboração Rute Araujo e Carola May

A amazona paulista faz parte do seleto grupo de 15 atletas do Adestramento - modalidade do hipismo -, representantes de 9 países que disputam a Final do FEI World Dressage Cup em 's-Hertogenbosch, Holanda, entre 25 e 27 de março. É a primeira vez que a América do Sul marca presença no evento.

Para reivindicar vaga na competição o atleta precisa registrar dois índices acima da 68,000% com juizes de nível olímpico no Freestyle – prova com coreografia e música – em dois Concursos de Dressage Internacional, categoria 3 ou mais estrelas. Luiza e Samba registraram quatro notas em dois eventos realizados em São Paulo: em outubro, no Clube Hípico de Santo Amaro, com a canadense Elizabeth Mcmullen (70,00%) e com a mexicana Maribel Alonso (70,750%), e em novembro, na Sociedade Hípica Paulista, novamente com Alonso (70,250%) e com o norte-americano Axel Steiner (69,500%).

Luiza Almeida desembarca na próxima semana em Düsseldorf, na Alemanha, onde participa de uma série de treinos com o belga Johan Zagers, técnico da equipe brasileira de Adestramento nas Olimpíadas de Pequim.

Medalha de bronze por equipe no Pan do Rio em 2007 e membro do inédito time de Adestramento que representou o Brasil nos Jogos de Pequim em 2008, Luiza Tavares de Almeida entrou para a história como a mais jovem atleta do hipismo em Olimpíadas. À época tinha 16 anos.

Por dentro da FEI World Dressage Cup

Criada em 1985, a FEI World Dressage Cup reúne os melhores atletas do mundo da modalidade Adestramento. A competição compreende quatro campeonatos realizados na Europa Ocidental, Europa Central, América do Norte (Estados Unidos e Canadá) e no Pacífico (Austrália, Nova Zelândia, Ásia).

Para se qualificar para a Final do FEI World Dressage Cup o conjunto (cavalo/cavaleiro) compete no Grand Prix “B” que, por sua vez é uma qualificação para o Freestyle, em que é necessária nota mínima de 68% em atribuição de juiz de nível olímpico em duas provas diferentes.

O julgamento leva em conta tanto o desempenho técnico quanto a apresentação artística do conjunto em sintonia com a música.
 

 
Entrega do “Prêmio Hipismo Brasil 2009”
Gerais

A festa para os melhores do hipismo

Colaboração Rute Araujo e Carola May

A entrega do “Prêmio Hipismo Brasil 2009” movimentou o Salão Nobre do Jockey Clube de São Paulo na noite de sexta-feira, 5 de março, quando a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) condecorou amazonas e cavaleiros e amazonas vencedores do Ranking CBH 2009 em sete diferentes modalidades: Adestramento, Equitação Especial, Concurso Completo de Equitação, Enduro, Rédeas, Salto e Volteio.

Na platéia, esportistas famosos de outras modalidades entre eles o técnico da Seleção Feminina de Vôlei, José Roberto Guimarães - cavaleiro amador e amante do hipismo - e a jogadora Hortência Marcari, a “rainha do basquete” que entregou o prêmio para os filhos João Victor Marcari Oliva - que faturou pelo segundo ano consecutivo o “Prêmio Hipismo Brasil” em sua categoria no Adestramento - e Antonio Victor Marcari Oliva, que compete na mesma modalidade e foi vencedor na série Elementar Mini-mirim.

Homenagens

Na ocasião, foram homenageados quatro cavaleiros medalhistas Olimpicos: Luiz Felipe de Azevedo foi o único presente na festa. Álvaro Afonso de Miranda Neto, o Doda, em fase de competições na Europa foi representado pelo pai Ricardo Miranda. Rodrigo Pessoa, competindo nos Estados Unidos, foi representado pelo pai Nelson Pessoa Filho, o Neco, e André Johannpeter, em viagem de negócios foi representado por seu pai Jorge Gerdau Johannpeter, também homenageado da noite.

A CBH homenageou, ainda, Carlos Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e as entidades Clube Hípico de Santo Amaro e Jockey Club de São Paulo representados por seus presidentes, respectivamente Luis Duílio de Oliveira Martins e Márcio Correa de Toledo.

Cavaleiro e técnico olímpico, Neco Pessoa recebeu uma honrosa homenagem com a instituição do “Troféu Nelson Pessoa Filho” que caberá ao campeão do Ranking de Salto da categoria Sênior Top. O troféu ficará de posse da CBH que anualmente vai gravar o nome do campeão da temporada.

Outra novidade da festa do “Prêmio Hipismo Brasil 2009” foi o reconhecimento oficial da Atrelagem como a 8ª modalidade sob supervisão da Confederação Brasileira de Hipismo.

 
Brasileiro desenha as pistas de Salto nas seletivas da equipe norte-americana para os Jogos Equestres Mundiais de 2010
Gerais

Brasileiro desenha as pistas de Salto nas seletivas da equipe norte-americana para os Jogos Equestres Mundiais de 2010

Colaboração Rute Araujo e Carola May

Um dos brasileiros de destaque internacional nas pistas de Hipismo não é cavaleiro, mas o course designer Guilherme Nogueira Jorge que está em Wellington, Flórida, Estados Unidos, armando as seletivas do United States Equestrian Federation (USEF) para a equipe americana que representará o país nos Jogos Equestres Mundiais (JEM 2010) que se realizam em outubro, em Lexington, no Estado de Kentucky.

"Fico muito feliz em ter sido escolhido pelos cavaleiros americanos e pela comissão técnica da equipe Bicampeã Olímpica para fazer os percursos dessas seletivas. É como se eu fosse um americano e tivesse sido escolhido para a equipe técnica da CBF para ajudar na preparação do time de futebol do Brasil para a Copa de 2014. Sinto-me muito honrado  com a confiança depositada no meu trabalho", diz Guilherme.

As seletivas da USEF acontecem em 5 provas: de 24 a 28 de fevereiro durante o Campeonato de Salto Internacional (CSI**) e de 3 a 7 de março durante o CSIO****, de onde uma comissão liderada por George Morris vai selecionar 15 binômios que irão à Europa e divididos em 3 equipes farão 3 tours, dos quais serão escolhidos os 5 integrantes da equipe americana.

Trajetória vitoriosa

Médico veterinário e cavaleiro de Salto por 10 anos, Guilherme Jorge montava na Sociedade Hípica de Campinas (SP), sua cidade, onde competiu na categoria Junior. Desistiu de competir, mas não do hipismo, onde acabou se tornando a maior referência brasileira como course-designer, ou seja, o responsável pela montagem do percurso em uma prova de Salto.

Dono de um vasto currículo, Guilherme foi o course-designer do Pan Rio 2007 e de duas Finais de Copa do Mundo (2005 e 2007), entre outras competições internacionais de destaque.

Em novembro de 2009, a Assembléia Geral da Federação Equestre Internacional (FEI) realizada em Copenhagen, Dinamarca, promoveu Guilherme Jorge a "Official International Course Designer". Ele passa a integrar o grupo de 28 Course Designers credenciados pela FEI para desenhar Jogos Equestres Mundias e Olimpíadas.

"Com a escolha do Rio de Janeiro para sediar os Jogos Olímpicos de 2016, essa promoção me credencia a ser o “desenhador oficial”. Já com esse objetivo vou participar dos Jogos Equestres Mundiais deste ano como um dos assistentes do norte-americano Conrad Homfeld. Quero estar preparado para as Olimpíadas de 2016”, comenta.

 
Enduro Equestre rumo ao Mundial
Gerais

Enduro Equestre rumo ao Mundial


 
colaboração Rute Araujo e Carola May

A Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) convocou 14 atletas do Enduro Equestre para participarem do processo de qualificação para formação da equipe que representará o País nos Jogos Equestres Mundiais de Kentucky, nos Estados Unidos, no segundo semestre. Destes 14 serão selecionados 5 conjuntos, quatro formarão a equipe e um disputará no individual.

São Paulo tem a maior representação entre os pré-convocados, 9 atletas: Ana Carla Maciel, Andre Vidiz, Leo Steinbruch, Lilian Garrubo, Luciane Bagarolli, Marcio Honório, Mariana Salles, Pedro S. Marino e Karina Arroyo. O Rio de Janeiro será representado por Nick Lins e Vitoria Lins; Minas Gerais por Rafael Salvador e Leonardo Abreu e o Distrito Federal por Fernando Gonçalves.

Fase preparatória

Esporte de resistência e de longa duração – no Mundial a trilha é de 160 km com Velocidade Livre - o Enduro Equestre exige preparo físico dos atletas e suas montarias. Objetivando a melhor preparação dos candidatos as vagas na equipe, a Confederação Brasileira de Hipismo desenvolveu um programa que inclui treinos, provas, avaliações físicas e palestras com renomados profissionais do setor.

Esta fase preparatória começa nos dias 12 e 13 de março, no Hotel Dona Carolina, em Itatiba (SP), ocasião em que os atletas serão submetidos a avaliações de aptidão física, teste ergoespirométrico, avaliação composição corporal e avaliação nutricional, análise status de hidratação, avaliação postural e fleximetria, modulação simpático-vagal. O coordenador do programa de avaliações é Rogerio Neves, médico especialista em Medicina do Esporte e Fisiologia do Exercício com vasta experiência em clubes profissionais de futebol e médico fisiologista da Seleção Brasileira de Futebol Feminino, Medalha de Prata nos Jogos Olímpicos de Atenas.

Participam, ainda, da avaliação dos atletas, Giovani Dello Russo Neto, André Nersissian e Daniela Neves.

Daniela Neves é nutricionista do Departamento Profissional de Futebol da Associação Portuguesa de Desportos desde 2004 e Coordenadora do Setor de Nutrição Clínica e Esportiva do Sport Lab. O biomédico fisiologista Giovani Dello Russo Neto é membro do Colégio Brasileiro de Fisiologia do Exercício, professor universitário e fisiologista responsável do Laboratório de Avaliaçao Física- FisioLab. André Nersissian, pós-graduado em Fisiologia do Exercício pela Escola Paulista de Medicina é também personal trainer com atuação na formação de atletas.

O programa da CBH para os pré-convocados inclui, ainda, clínicas preparatórias em abril e junho e treinos com participação dos 14 conjuntos em maio e junho. No dia 20 de julho serão divulgados os cinco conjuntos selecionados que voltam a passar por nova avaliação física, assim como seus animais. A partir da definição do time serão realizados treinos conjuntos de manutenção e um treino final antes do embarque para os Estados Unidos. A definição de formação da equipe e de quem vai disputar no individual só acontece no dia da prova após avaliação final dos conjuntos.

Jogos Equestres Mundiais

Instituídos pela Federação Equestre Internacional (FEI) em 1990 e realizados a cada quatro anos, os Jogos Eqüestres Mundiais reúnem a elite do hipismo mundial em disputas individuais e por equipe em oito diferentes modalidades: Salto, Adestramento, Concurso Completo de Equitação, Volteio, Rédeas, Enduro, Atrelagem e, em 2010, pela primeira vez, o Paraequestre.

Batizado de “Alltech FEI World Equestrian Games” (WEG 2010) o evento considerado a “Copa do Mundo” do cavalo acontece entre 25 de setembro e 10 de outubro no Kentucky Horse Park, em Lexington, Kentucky, Estados Unidos. Em sua sexta versão e a primeira fora do Continente Europeu, os Jogos Equestres Mundiais vão reunir cavaleiros e amazonas de 60 países, atraírem um público de 800 mil pessoas, além de ser transmitido para outras 500 milhões em todo mundo.

O Brasil participa dos Jogos Eqüestres Mundiais desde sua 1ª edição quando foi representado por atletas do Salto e do Concurso Completo de Equitação. Os enduristas brasileiros fizeram sua estréia na 2ª edição do WEG, em 1994, em The Hague, Holanda.

 
Hipismo fará blitz rigorosa para controle antidoping
Gerais

Hipismo fará blitz rigorosa para controle antidoping

colaborção Rute Araujo e Carola May

A Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) adotou a Campanha “FEI Clean Sport” - Campanha pelo esporte limpo - que se traduz em um esforço coordenado em vários níveis com o objetivo de combater o doping e o uso de substâncias proibidas nos esportes equestres.

As novas regras implantadas pelo “FEI Clean Sport” foram aprovadas por unanimidade pela Assembléia Geral organizada pela Federação Equestre Internacional (FEI) em Copenhagem, na Dinamarca, em novembro de 2009.

Para implantar, coordenar e divulgar o “FEI Clean Sport” a CBH instituiu uma Comissão formada por dirigentes, cavaleiros, veterinários, tratadores e organizadores de eventos.

As primeiras ações do “Clean Sport” serão realizadas na abertura oficial da temporada de Salto, o “Torneio de Verão” do Clube Hípico de Santo Amaro, em São Paulo (SP), a partir de 25 de fevereiro. Foi consenso da Comissão do “Clean Sport” adotar medidas rigorosas de fiscalização, além de educativas.

De olho nos infratores

A partir de agora, todo evento hípico terá, além da Inspeção Veterinária obrigatória, uma equipe de veterinários independente fazendo coleta de urina e sangue nos animais da prova, com aumento significativo do número de coletas em relação a eventos anteriores, independente da classificação e categoria da prova. Haverá fiscalização nas cocheiras dia e noite, controle de sensibilização de membros e tamanho dos pêlos e rigorosa fiscalização de boleteiras.

Os casos de doping serão amplamente divulgados e os nomes de toda a equipe que acompanha o cavalo - veterinário, cavaleiro, proprietário do animal, treinador e tratador - serão publicados no Site da CBH.

Além da fiscalização, a CBH também promove uma campanha educativa que inclui placas nas pistas de competição, informações no site e stand da entidade em eventos, além da promoção de palestras e mesas redondas.

“A campanha FEI Clean Sport abrange as oito modalidades supervisionadas pela Confederação Brasileira de Hipismo e seu sucesso depende de todas as pessoas envolvidas com o esporte: veterinários, atletas, treinadores, tratadores, proprietários de cavalos, organizadores de prova e entidades relacionadas ao hipismo”, enfatiza Luiz Roberto Giugni, presidente da CBH.

Para esclarecer as novas regras do “FEI Clean Sport” a CBH promove uma “Mesa Redonda”, aberta ao público de interesse, na sexta-feira, 26 de fevereiro, as 17h00, na sede social do Clube Hípico de Santo Amaro, em São Paulo (SP), com entrada gratuita.

 
Guega conquista Troféu Eficiência do hipismo paulista
Gerais

Guega conquista Troféu Eficiência do hipismo paulista

O cavaleiro olímpico e medalhista pan-americano Serguei Fofanoff, o Guega, de Ribeirão Preto (SP), conquistou o “Troféu Eficiência 2009” na mais exigente categoria do Concurso Completo de Equitação (CCE), a Sênior 3*. O prêmio é promovido anualmente pela Federação Paulista de Hipismo (FPH) e contempla os melhores atletas do esporte no Estado de São Paulo.

Colaboração Toque de Letra Comunicação

O Troféu Eficiência vai premiar 70 atletas de cinco diferentes modalidades. O Salto apresenta o maior número de premiados (21), seguido do Adestramento (18), Volteio (13), Enduro (8), Concurso Completo de Equitação (6) e Equitação Especial / Paraequestre (4).

A festa de premiação acontece durante a abertura da temporada de competições hípicas, na 1ª Etapa do Torneio de Verão 2010 do Clube Hípico de Santo Amaro, em São Paulo (SP).

Sobre Serguei Fofanoff
Serguei Fofanoff, o Guega, nasceu em Ribeirão Preto (SP), em 11 de dezembro de 1968. Iniciou sua carreira no hipismo rural, sendo treinado, durante a juventude, na Europa, por Lars Sederholm, um dos maiores treinadores do mundo de CCE (Concurso Completo de Equitação), e Nélson Pessoa, pai de Rodrigo Pessoa.

É, atualmente, o cavaleiro que mais vezes representou o Brasil em competições internacionais, acumulando participações em três Olimpíadas (Barcelona/92, Atlanta/96 e Sydney/2000), dois Jogos Equestres Mundiais (Suécia/90 e Holanda/94) e três Jogos Pan-Americanos (Mar Del Plata/95, Winnipeg/99 e Rio de Janeiro/2007).

Entre os inúmeros títulos conquistados ao longo de sua vitoriosa carreira, Guega é heptcampeão brasileiro (1989/91/93/97/2003/2008 e 2009), campeão sul-americano (1991), e medalha de ouro (1995) e prata (1999) nos Jogos Pan-Americanos . Em novembro do ano passado, foi homenageado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) com o “Prêmio Brasil Olímpico 2009”.

 
No Chile, cavaleiro Guilherme Foroni defende vaga para o Brasil
Gerais

 

No Chile, cavaleiro Guilherme Foroni defende vaga para o Brasil nas Olimpíadas da Juventude 2010

 
Colaboração Rute Araujo, foto Tupa Vídeos

Em busca de uma vaga nas Olimpíadas da Juventude 2010, que acontecem em agosto, em Cingapura, a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) convocou o cavaleiro paulista Guilherme Foroni, 18, para defender o Brasil na seletiva da América do Sul que acontece na cidade de Valdivia, Chile, até domingo, 31.

A América do Sul tem direito a três vagas e cada país um representante. Participam da seletiva chilena atletas de 10 países.

Guilherme Foroni é o campeão do ranking Junior de 2009 na modalidade Salto da Confederação Brasileira de Hipismo e da Federação Paulista de Hipismo (FPH).

Em princípio a seletiva rumo à Olimpíada da Juventude estava agendada para acontecer na Colômbia - local em que altos custos para os participantes, entre outros detalhes, impediram a realização do evento. Em final de dezembro, a seletiva foi transferida para final de janeiro no Chile. "Como não tínhamos tempo hábil para realizar uma seletiva no Brasil, enviamos o primeiro colocado do Ranking Junior", explicou o diretor de Salto da CBH Caio Sérgio de Carvalho. "Estamos torcendo pelo Guilherme e caso ele consiga a vaga, a posteriori, realizaremos uma seletiva para a escalação definitiva do representante do Brasil", esclarece Luis Roberto Giugni, presidente da CBH.

A CBH, entidade máxima do esporte no País custeou passagens e estadia do cavaleiro, bem como do chefe de equipe. O cavalo que Guilherme Foroni está montando foi emprestado pela organização do evento.

 

 
A consagração de uma estrela
Gerais

A consagração de uma estrela

Luiza Tavares de Almeida e seu Lusitano Samba conquistam vaga inédita para o Brasil na Final do FEI World Dressage Cup, em março, na Holanda

Colaboração Rute Araujo Foto Ney Messi/Cedida

Luiza Almeida e o Lusitano Samba: coleção de títulos e a vaga inédita na Final do FEI World Dressage Cup 2009/2010 na Holanda.

Depois de entrar para a história como a mais jovem amazona em Olimpíadas, a medalhista de bronze por equipe no Pan do Rio 2007 e Campeã Brasileira Sênior 2008, a atleta paulista de 18 anos Luiza Tavares de Almeida escreve um novo capítulo no esporte conhecido por consagrar nomes que somam vários anos em pista.

Para participar da Final do FEI World Dressage Cup o conjunto precisa obter de juizes de nível olímpico duas notas acima de 68.000% no Freestyle – prova com coreografia e música – em dois Concursos de Dressage Internacional, categoria 3 ou mais estrelas.

Luiza Almeida conquistou quatro notas em dois eventos: em 23 de outubro, no Clube Hípico de Santo Amaro, em São Paulo (SP) com a canadense Elizabeth Mcmullen (70,00%) e com a mexicana Maribel Alonso (70,750%). Na tarde do domingo, 8 de novembro, na Sociedade Hípica Paulista, em São Paulo (SP), último CDI3* da temporada, a amazona alcançou as notas de 70,250% e 69,500% respectivamente de Maribel Alonso e de Axel Steiner, dos Estados Unidos.

A conquista de Luiza Almeida comoveu a platéia. A apresentação da amazona e seu Samba - um Puro Sangue Lusitano importado - foi memorável. Além das notas que garantiram a vaga, o conjunto recebeu, ainda, a excepcional nota de 73,250% de Mercedes Campdera, outra juíza mexicana, terminando com a média final de 69,900% e o título de campeã do Freestyle Grand Prix do CDI3* Oi 2009.

O título de vice-campeã ficou para Marie Munters montando Crossy, pela Suécia, com média final de 67,700%. Completaram o pódio os conjuntos Leandro Aparecido Silva/Oceano do Top (63,850%) em 3º, e Rogério Clementino/Nilo VO (59,000%) em 4º.

A outra prova de nível Internacional deste domingo, o Freestyle Intermediária I, da série Forte II, revelou campeão Rogério Clementino montando Sargento do Top, com média final de 68,000%; Marie Munters com Donfire foi vice (66,900%) e Alexandre Morais de Oliveira com Magma (66,400%) ficou em 3º lugar.

Por dentro da FEI World Dressage Cup

Criada em 1985, a FEI World Dressage Cup reúne os melhores atletas do mundo da modalidade Adestramento. A competição compreende quatro campeonatos realizados na Europa Ocidental, Europa Central, América do Norte (Estados Unidos e Canadá) e no Pacífico (Austrália, Nova Zelândia, Ásia).

Com a qualificação de Luiza Almeida e Samba, a Final do FEI World Dressage Cup contará pela primeira vez com um representante da América do Sul. A disputa acontece entre 25 e 27 de março em 's-Hertogenbosch, na Holanda.

Para se qualificar para a Final do FEI World Dressage Cup o conjunto (cavalo/cavaleiro) compete no Grand Prix “B” que, por sua vez é uma qualificação para o Freestyle – prova com coreografia e música - em que é necessária nota mínima de 68% em atribuição de juiz de nível olímpico em duas provas diferentes.

O julgamento leva em conta tanto o desempenho técnico quanto a apresentação artística do conjunto em sintonia com a música.

 
LINHAGEM ITAPUA BÁSICA NO ANDALUZ – LUSITANO
Gerais

Para maiores informações sobre o Haras, seus cavalos, ofertas, contatar Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

Leia mais...
 
LINHAGEM BRASILEIRO DE HIPISMO - BH
Gerais

 

Para maiores informações sobre o Haras, seus cavalos, ofertas, contatar Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

Leia mais...
 
Projeto Anjos do Cavalo
Gerais
Projeto Anjo dos Cavalos, embora sem este nome e sem a pretensão de ser um projeto, iniciou suas atividades em 1.995, com a falecida e saudosa CELINA VALENTINO, conhecida como “Celina dos Leões” e “Celina dos Cavalos”. Vice-Presidente da UIPA-União Internacional de Proteção aos Animais, Celina, ajudou a elaborar uma lei com o então Vereador Brasil Vita, que começaria a ajustar a conduta de carroceiros e “proprietários” de cavalos, que circulavam livremente pelas ruas, avenidas e marginais da 4ª maior cidade do planeta.
Leia mais...
 
« InícioAnterior11121314151617181920PróximoFim »

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL
Banner
Banner
 
Banner
Haras Itapuã

  

Criador do cavalo Brasileiro de Hipismo (BH) e Andaluz Brasileiro (AB)

Read more text
Qual é a sua idade?
 
Qual é o seu sexo?
 
O que você pratica?
 
Você e seu cavalo saltam que altura?
 
O que falta para o hipismo no Brasil?
 
No Brasil se pratica Hipismo com segurança?
 
home search Google+